Nasa quer centenas de milhares de drones autônomos voando diariamente

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Drone autônomo da NASA

A Aeronáutica da NASA está saindo em uma jornada para impulsionar uma nova era na aviação 

Transporte aéreo de próxima geração, Drones autônomos.

O céu pode se tornar cada vez mais agitado à medida que os usos pessoais e comerciais dos sistemas de aeronaves não tripuladas (DRONES) tornam-se mais populares.

A NASA e seus parceiros estão envolvendo testes da versão mais recente de suas tecnologias de gerenciamento de tráfego (UAS) da Unmanned Aircraft Systems (UTM) com aeronaves em tempo real, operadas remotamente ou drones, em seis sites ao redor do país.

Por volta da mesma época, várias grandes empresas de tecnologia, como Amazon e Google, anunciaram planos para lançar suas próprias aplicações com DRONESNo entanto, antes que estes e quaisquer outros esforços comerciais levem vôo, um sistema de segurança deve estar no lugar para garantir que as novas aeronaves não tripuladas voadoras não colidem em edifícios, aviões ou entre si.

A NASA está empenhada em transformar a aviação reduzindo drasticamente seu impacto ambiental, mantendo a segurança em céus mais lotados e preparando o caminho para as formas revolucionárias da aeronave e propulsão. Continuamos trabalhando com outras agências governamentais para permitir a implementação do Sistema de Transporte Aéreo da Próxima geração, desenvolvendo ferramentas revolucionárias de gerenciamento de tráfego aéreo que aumentarão a eficiência do Espaço Aéreo Nacional.

A NASA está ajudando a definir uma nova era da aviação. Usando o poder da inovação colaborativa para trabalhar junto com muitos governos comprometidos, indústria e parceiros acadêmicos, a NASA está se beneficiando do investimento do setor comercial na tecnologia UAS, permitindo que a agência liderasse pesquisa e desenvolvimento em um sistema UTM baseado em nuvem.

"A NASA quer criar um sistema que acompanhe e entregue informações importantes aos operadores de DRONES, como por exemplo, quais áreas devem evitar, se qualquer outro veículo está tentando operar no mesmo espaço aéreo ou como será o clima em uma dada área".

Enquanto a NASA e a indústria de DRONES enfrentam desafios íngremes, várias empresas já abordaram algumas dessas questões. Um colaborador desenvolveu sistemas que verificam automaticamente a vida útil da bateria de um drone e o terreno circundante, enquanto outro está construindo um banco de dados para manter o drone longe de residências particulares. Outras empresas lançaram protótipos para sistemas de rastreamento e evasão de baixa altitude e estão usando ferramentas que gerenciam as operações da frota relacionadas às operações comerciais de Drones. Essas tecnologias devem atender aos requisitos federais para iniciar as operações como um banco de teste para um gerenciamento de tráfego de aeronaves não tripulados.

No próximo passo, a NASA quer reunir no famoso Vale do Silício da Associação para Sistemas de Veículos Internacional uma convenção de três dias no próximo mês para reunir uma ampla audiência nacional e internacional de representantes governamentais e civis, indústria e academia, aviação, Agricultura, cinema e outras indústrias, para entender e definir o impacto e os desafios futuros do DRONES.

As  equipes da NextGen deverão descobrir como fazer para atender a três objetivos.

Seguro, crescimento eficiente nas operações globais

1. Criar uma rota para a inclusão e a certificação segura de sistemas autônomos na aviação.
Sistemas autônomos, como carros sem motoristas e drones autônomos, dependem de algoritmos de aprendizado de máquina que se adaptem a novos objetivos e ambientes. A ideia é desenvolver algoritmos que deem autonomia, dando confiabilidade às decisões da máquina e, em última instância, permitir que os sistemas autônomos sejam certificados - assim como os motoristas e pilotos humanos recebem carteira de motorista e brevê de piloto.
2. Desenvolver novos métodos e tecnologias para um drone com controle remoto se certificar de que está pronto para voar antes de cada voo.
A ideia é dispensar os humanos na tarefa de verificação sobre a prontidão estrutural e mecânica da aeronave, garantindo que todos os seus sistemas de bordo estão íntegros e não foram invadidos de alguma forma. Além disso, se algo errado for detectado durante o voo, o drone deverá pousar imediatamente por conta própria.
3. Usar a computação quântica e tecnologias de comunicação para construir uma rede segura e livre de engarrafamentos capaz de acomodar centenas de milhares de drones voando diariamente.
Devido à forma como os dados são organizados e processados, a computação quântica permite que certos cálculos e comunicações sejam feitos de forma muito mais eficiente do que usando um computador normal.

Tecnologias transformadoras

A seleção faz parte do programa de Soluções de Aeronáutica Convergente da NASA, e as equipes terão entre 24 e 30 meses para apresentar seus trabalhos.

"Nossa ideia é investir uma quantidade muito modesta de tempo e dinheiro em novas tecnologias que são ambiciosas e potencialmente transformadoras. Elas poderão funcionar ou não, mas não saberemos a menos que tentemos," disse Richard Barhydt, diretor do programa.

NextGen - O Sistema de Transporte Aéreo da Próxima Geração.

Áreas de Ames Ingenuity: Transporte aéreo de próxima geração

Laboratório de Operações do Espaço Aéreo da NASA Ames.

Curta nossa pagina no Facebook

Gosta de drones? entre para nossa lista de e-mails

Newsletter

Joomla Forms makes it right. Balbooa.com

Hiperdrone Homologado

Hiper drone homologados